sexta-feira, janeiro 27, 2006

A cor do seu destino

 Posted by Picasa


Panteras Negras: sempre tive fascinação pelo movimento exatamente por não saber bem o que faziam, como lutavam. Só sei que os atletas que fizeram esse gesto perderam suas medalhas: o comitê olímpico alegou ser um gesto político, que não condizia com o espírito dos esportes. Talvez, se tivesse sido um branco no lugar mais alto do pódio, talvez o gesto fosse encarado como "solidariedade" ou "engajamento social".
Ilusão: o esporte nunca foi nem jamais será tão puro. Vide o caso de Jim Thorpe (1888-1953). Thorpe destacou-se em esportes como atletismo, beisebol, basquete, hóquei sobre gelo, natação, tênis e arco e flecha. Nos Jogos Olímpicos de 1912 obteve duas medalhas de ouro, no pentatlo e no decatlo. Nesta última prova, estabeleceu um recorde que não foi superado durante 17 anos.
Apesar disso, a Amateur Athletic Union considerou que o fato de o atleta ter jogado beisebol como semiprofissional violava a condição de amador então exigida do desportista nas Olimpíadas. Thorpe perdeu suas medalhas e seus recordes foram oficialmente cancelados. Somente em 1982, 30 anos depois de sua morte, Jim Thorpe foi reabilitado e suas medalhas devolvidas.
Jim Thorpe era mestiço de índio. Seu pai era parte irlandês e parte índio e sua mãe era índia, com sangue francês. Seu nome índio era Wa-Tho-Huck (Caminho Brilhante). Era bisneto do grande cacique Falcão Negro, da tribo Sac.

 Posted by Picasa

Um comentário:

Fernanda disse...

O sapato dele...