sexta-feira, dezembro 11, 2015

Vida que segue e abana o rabinho


Todas as noites. Ou é o calor de rachar que me faz levantar pra ver se as meninas estão fazendo sauna embaixo dos lençóis, a eterna briga só-durmo-de-janela-fechada-só durmo-de-janela-aberta. Ou aquela tempestade que parece que vai levar embora o topo do prédio. Sempre SEMPRE tem alguma coisa que me faz levantar de madrugada e eu saio tropeçando em mochila sapatos brinquedos da doga aspirador de pó bolsa de livros fio da TV colchonete de ginástica saco de lixo do banheiro que ninguém levou lá pros fundos. Aí eu consigo enfim me deitar e fechar meus olhinhos. Por exatos cinco minutos.

- Tô com sede.
- Ai, caramba, vai lá na cozinha beber água.
- Tá escuro.
- Não tá nada. Não inventa e vai logo.
- Tô com medo.
- Não tem nada lá!
- Tô com medo. E com sede. Muita sede. TÔ COM SEEEEEEEEEEEEEEDE!
- Vai dormir que passa.

[...]

- Não passou.
- &%$#*#&*#&@#&%$!
- E agora tô com mais sede ainda.
- E o que é que a senhora quer que eu faça?
- Abre a torneira do bidê pra mim?

E aí eu vou, xingando e tropeçando em mochila sapatos brinquedos da doga aspirador de pó bolsa de livros fio da TV colchonete de ginástica saco de lixo do banheiro que ninguém levou lá pros fundos, abrir o bidê pra doga beber água e, finalmente, me deixar dormir.

***


 - Não entendi por que eles brigaram, mas eles discutiram. Depois ela foi pra casa da mãe dela e ficou lá a tarde toda.
- Eita, que babado forte.
- Vai vir separação... Veja nos próximos capítulos de "Casos de Famílias - O casal Paulana Barredes"!
- E eu aqui perdendo isso.
- Pois eu vejo de graça e em alta resolução, 3D som dolby stereo.
- Eu só posso ler a sinopse.
- Eu assisto até os créditos.

Zé Colméia foi pra casa do pai, Catatau ficou comigo. O pai briga com a mulher todo santo dia. Nessa vida de tédio, em vez da usual troca de comentários no messenger, agora uma acompanha as discussões ao vivo, via skype, pelo celular da outra. Streaming da DR do pai - com direito a pipoca. Juro.por.deus - pi-po-ca. Não sei se premio a genialidade ou boto as duas de castigo.

***


Porque ninguém - nem a veterinária - vai ter vida fácil tentando por a mão onde mamãe passou talquinho.