quinta-feira, maio 28, 2009

Luz da minha vida

Junho é o aniversário da Zé Colméia. Eu prometera a ela dar uma festa de pijama e, de presente, um sari. Ontem, chamei-a e contei a ela que não poderia pagar pela festinha nem pelo presente. Bolo (presente da madrinha) e brigadeiros eram o máximo que eu poderia dar. O presente teria que esperar, Deus sabe quanto.

Então ela me abraçou e disse "Tudo bem, mamãe. Eu te amo e não me importo em ganhar uma festa pequena. A gente dá um jeito, né? E tem meus amigos, que me trazem lembranças no dia do meu aniversário. Não fica assim, não. O importante é que a gente está junto - eu, você e a Catatau."

E eu chorei muito depois que elas dormiram. E agradeci imenso pelas filhas maravilhosas que eu tenho. E hoje chegou um trabalho - que eu só vou receber em julho, mas é trabalho.

E então colori meus cabelos de henna. E fiz as unhas. E levantei a cabeça. Porque mesmo que eu me sinta um fracasso como pessoa e como profissional, sei que como mãe eu sou um sucesso. E um (que vale por 10) em três, nessa vida, tá de muito bom tamanho.

12 comentários:

Carolina disse...

:*
fica bem!

Deh disse...

Coisa mais preciosa, essa Zé Colmeia! E isso mesmo, cabeça pro alto!
Beijo!

Maria Angélica disse...

Manda pro meu email o dia do aniversário? beijos

Ana Cecília disse...

Sabe, bateu um misto de invejinha com preocupação. Digo isso porque, apesar de a situação daqui estar igualmente periclitante, filhota acostumou-se à vida de filha-única-que-tem-tudo-o-que-deseja-e-imagina e passou a pedir a mesma boneca. A que já tem. Diante do meu espanto, deparei-me com a cena inusitada: cortou os lindos cabelos da boneca, rabiscou-a com pilot e despiu-a sem pena. "Agora eu quero a nova, essa está velha e horrível". {suspiro} Achava que a fase mais trabalhosa cessaria com as fraldas, chupetas e afins. Ninguém me preparou para a perversidade contra as bonecas que valem 200 pratas. Ninguém me preparou para o momento em que precisei me perguntar: "Onde, diabos, estou errando?". Talvez oferecer o melhor para os pequenos seja pior que a privação... Ando com um medo... E duvideodó que a minha teria a atitude da Zé Colmeia. Iria espernear, gritar, chorar e "ficardemal". Aff... Vamos embora que a esperança é a penúltima que morre.
Parabéns para a filhota. De longe mando meu carinho.

Suzana Elvas disse...

Ana Cecília;

Sempre fui honestíssima com as meninas; elas vêem o quanto eu ganho, o que pode ser gasto. Sempre disse o que faltará se o gasto com o que não é necessário for feito. E brinquedos sempre elas ganharam (quase) tudo o que pediram, mas não sou eu quem dou: é Papai Noel. E ele é muito, muito rígido.

Num ano que em Zé Colméia bordou e pincelou ela recebeu, junto com parcos presentes, um pote transbordante de carvão e uma cartinha (ele SEMPRE deixa cartinhas) dizendo que, se o ano seguinte fosse repeteco daquele, só carvão ele deixaria para ela.

Se uma das duas fizesse com uma boneca o que a sua fez com a dela, a resposta seria: "Sinto muito. Papai Noel não repete presente, e eu duvido que ele fique satisfeito com o que você fez. Acho que você vai ter que melhorar horrores para ganhar outra boneca, já que faz isso com as que você já tem."

Faz isso e veja se ela, mesmo pequenina, não vai se arrepiar e cuidar melhor do que já tem.
Bjs

Tina Lopes disse...

Su, adorei essa do Papai Noel. Realmente vc tem a nota alta nesse quesito. Aposto que nos outros também. E a Zé Colméia, ah, que favinho de mel.

Manu disse...

Bom ler coisas como o seu comentário, assim vou aprendendo como ser uma boa mãe para os meus pequenos. Algo que gostaria de ensinar a eles é o valor de cada coisa e, principalmente, que saibam dar o devido valor ao que realmente importa, como a Zé Colméia faz. Deus queira que um dia eu possa sentir o mesmo orgulho dos meus filhos que sei que hoje você sente das suas meninas. Parabéns, vc é um exemplo de mulher e de mãe!

Ana Cecília disse...

Su, obrigada pela resposta. Adotarei o Papai Noel aqui em casa também. Ly correrá o risco de, vez ou outra, receber carvõezinhos pelo mau comportamento. Anda merecendo...
Queria poder retribuir sua ajuda, é sério! Não apenas a que vc oferece quando pessoalmente peço "socorros", mas essa do acalanto, de nos brindar com essas pagininhas tão despretensiosas, mas que alimentam a alma. Como vc diria, "pieguice mode on"... rs

Solange disse...

Lá em casa não tinha história de Papai Noel (minha mãe era professora 'moderna' e achava que essas coisas eram prejudiciais - bobinha!), mas lembro de um ano em que ganhamos *uma* borracha. Das cheirosas, mas mesmo assim... É difícil, mas apesar de ter todas as condições e filha única, acho que consegui passar a ela o valor das coisas (fiz a moça guardar dinheiro para comprar seu primeiro celular e quetais). Semana que vem a prima vai dar sua festa de 15 anos - daquelas bem cafonas, com troca de roupas, coreografias, só faltou o cavalo. A gente podia dar uma festa igual, ou mesmo uma viagem. Pois ela pediu o presente dela em 'cash' - e explicou que quer começar a guardar para quando tiver sua casa. Pode um negócio desses? Eu gastaria tudo em paçoca!

Solange disse...

Oops, quem vai querer o dela em cash é a filhota, que faz 15 anos no ano que vem (eu e essa minha mania de não reler antes de clicar...)

LuLu disse...

Sucesso, mesmo!!
De tres itens.. um.. e ainda com frutos, porque filho com valores, nao tem preço, viu?
Sucessao!! Oooo se é! Absoluto!
Parabéns!
Parafraseando voce mesma: inveja mode on.

Adrina disse...

Que coisa linda!