quarta-feira, abril 15, 2009

Sem óculos

Então. Você chega de uma viagem que deveria durar duas horas e meia - e levou quase cinco. "Podre" não definiria o estado semicoloidal que seu corpo agora apresenta. Bêbada de sono, se arrasta do sofá onde desabou há três horas, depois de enfiar suas filhas na cama. "Ah, que se dane. Vou dormir assim mesmo. Mas nem morta vou arrumar mochilas e separar uniformes. Ninguém morre se for dormir sem escovar os dentes. Ainda tenho que grunfmfgsmum..." E sai cambaleando em direção à cozinha para apagar as luzes da casa quando pisa descalça num camundongo seco e duro e morto de tanto comer Racumin. Depois disso até as malas eu desfiz.

Tá precisando de uma descarga de adrenalina para acordar?
Pisa descalça num rato morto. É tiro e queda.

* Mas eu não recomendo. Nem desejo ao meu pior inimigo. Minto. Desejo pro meu ex-marido. Ele tá merecendo.

4 comentários:

Adrina disse...

Não é para rir, mas é engraçado. Fiquei me imaginando chegar de viagem moída, sem ânimo pra nada.. daí piso no rato... Acho que até desengordurar o fogão eu faria.

Ana disse...

Já eu fiquei aqui me imaginando pisando em um, em uma dessas madrugadas terríveis que tento terminar minha monografia. rsrsrs

Beijos!!!

Ana Cecília disse...

Já esmaguei uma barata com a mão, qdo senti aquele carinhozinho na perna, numa madrugada quente, e confundi com mosquito. Sabe-se lá por quê. É melhor (?) que pisar em rato, mas sentir aquele líquido viscoso e verde por entre os dedos tb não foi lá muito agradável... E sim, ex-maridos deveriam passar por isso com frequência... :)

Colafina disse...

Mas que implicância com ex-maridos... putz!

:-))))