segunda-feira, abril 27, 2009

Desespero é...

Recolher e limpar do chão da cozinha todo o detergente de pia que vazou do frasco espatifado.

Ver a máquina de lavar a) vomitar espuma sem parar; b) sair andando enquanto centrifuga 9,7 toneladas a mais de roupa que o recomendado pelo fabricante; c) enguiçar antes de começar a enxaguar as 10 toneladas de toalhas e lençóis que você enfiou lá dentro; d) todas as opções acima.

Fazer o cachorro parar de mastigar aquele rato morto.

Tirar em 0.000967 milésimos de segundo a roupa alva, perfumada e seca do varal antes que o temporal encharque e suje tudo de novo.

Alcançar o inseticida sem fazer movimentos bruscos.

Consertar a descarga da privada antes que ela esvazie toda a caixa d'água do prédio.

Fazer aquela compra monstra numa madrugada de feriado e depois de tudo passado, empacotado, embalado e ensacado, procurar a carteira e descobrir que deixou a dita em outra bolsa. Na casa da sua mãe. Que mora em Friburgo.

Um comentário:

Deh disse...

Nossa, comigo acontece tudo bem parecidinho. Só que ao invés de cachorro mastigando rato tenho gatos abocanhando lagartixas pretas nojentíssimas.

E o Sennett. Ah, que delícia, queria reler. Assim que minha suspensão na biblioteca da UFSCar acabar vou matar as saudades.