quarta-feira, janeiro 26, 2011

Besta

Fazendo as contas, mesmo sem trabalhar vou pagar as contas raspando - somando a pensão do pai das meninas e a ajuda que minha mãe, religiosamente, pinga na minha conta para pagar a escola das meninas. Então, eu sou oficialmente aquela que vive às custas do ex-marido e dos pais.

A minha vergonha é tanta que eu simplesmente não ligo. Já mandei umas quatro dezenas de currículos e não obtive uma mísera resposta. A maior parte das vagas paga dois salários mínimos; o regime de contratação é PJ e, pasmem, pede pós-graduação. De nada valem duas línguas e quase 20 anos de experiência em quase todos os ramos da comunicação. Como eu não tenho pós não consigo sequer mandar o currículo.

Assim é que eu passo meus dias sozinha, vendo televisão da hora em que eu acordo até a hora em que vou dormir - quando eu durmo. Desde que a geladeira pifou (já se vai quase uma semana) minhas noites têm de uma a três horas de duração. Não tenho nada a me ocupar: nem as meninas, nem o trabalho, nada. Somente a lembrança do meu pai, curtindo seu desemprego regado a televisão e cigarros.

Currículo transbordando experiência, duas faculdades de primeira linha, dois idiomas na ponta da língua, um bom português. Tanto orgulho para nada.

5 comentários:

Gabriela Galvão disse...

Eu ñ tenho vergonha pq ñ acho q eh para ter.

O mundo eh injusto, pronto. Ñ estou me vitimizando. O negócio eh q eh. E tb acho q um tem q ajudar o outro, mesmo.

Mas ai, como a lembrança d uma prainha à tarde dos dias d desemprego servem pra aliviar um dia d mto trabalho!

(Beijo)

Roberta V. L. disse...

Você vai conseguir, é muito inteligente e iluminada!! Muita sorte e sucesso pra você! Bjos!

Anônimo disse...

Sempre torcendo por você, Suzana.
Abraços
Manu

Adrina disse...

Eu tenho um pouco de experiência na minha área, pós-graduação marromeno e muita vontade de trocar de emprego porque estou sofrendo assédio moral. Mandei uns 50 currículos, fiz 2 entrevistas, não cheguei a lugar algum. Não reclamo mais porque eu ainda estou empregada, mas sofrendo demais para sair de casa de manhã e pensar qual será a tortura do dia. Olha, tem hora que a gente nem acredita, viu?

Nessa disse...

Amada! Leio seu blog há um tempão e nunca comento.
Dessa vez, me sinto na obrigação de intervir.
Existe um grupo na internet, chamado LuluzinhaCamp, que tlavez você deva conhecer pelo menos de nome. Temos um site, e um grupo no googlegroups. procura o grupo no google, te cadastra na lista. Nós estamos constantemente trocando curriculos e sempre tem alguem que sabe de um emprego bom pra todo mundo, em todo o Brasil. E as Lulus tem tendência a preferir pessoas do grupo pra preencher as vagas.
;D
Fica a dica.
beijão