segunda-feira, março 02, 2009

Sumidouro



Dez dias em casa. Calor infernal. Noites não-dormidas e coisas mal-resolvidas.

Porque quando o médico disse "É câncer" a vida mudou de foco. É sério; o que antes era teleobjetiva passou a ser grande angular. Meu objetivo primário e urgente foi a vida das meninas. Patrimônio não tenho nenhum, mas dívidas são o fim, não os meios. Consegui pagar quase todas elas. Botei meus documentos em ordem. Abracei e beijei muito mais do que o habitual. Escrevi cartas. Vi e revi cada foto. Tentei uma conversa com meu ex-marido para aproximá-lo mais das filhas. Passei o Ano Novo fora. Deixei instruções. Comprei uma agenda para planejar o dia seguinte e viver precisamente o hoje.

Aí meu câncer foi embora e, se eu fizer tudo certinho, ele não deve mais voltar. Mas o prognóstico a curto e médio prazo é sombrio - porque eu vou ter que reaprender a viver. Simplesmente apaguei da minha vida a figura de um possível outro e o modo-de-fazer. Pra que namorado? Pra que procurar emprego fixo? Pra que fazer planos? O futuro não era mais amanhã; ele simplesmente não era.

Agora eu tenho que voltar a me preocupar em pagar o meu INSS; em fazer uma poupança; em juntar dinheiro para a mítica casa própria; tenho que voltar a perder o sono por não ter emprego fixo, não ter patrimônio. Em ter que conviver socialmente, vestir a máscara de manhã para tirá-la à noite. Passar o fio dental religiosamente duas vezes ao dia, mesmo estando com vontade de dormir com a roupa que vim da rua. Parar de comer banana com a produção mensal brasileira de Nutella. Desligar a televisão quando só estiver passando Televendas Polishop e encarar o fato de que meu corpo PRECISA que eu durma. Em me esforçar profissionalmente e não apenas fazer o básico para pagar as contas do mês.

Preciso descobrir como lidar com a minha vida, já que ela voltou. E, pelo jeito, para ficar.

7 comentários:

Ana disse...

Sem palavras ..... mas eu quis passar e te deixar um beijo.
:*

Solange disse...

Dizer o quê? Você quase sempre me deixa sem palavras também...

Manu disse...

Muito bom que está de volta, Suzana!
Beijo :)

Rita disse...

ÊêêêÊêêÊ!!! E dá-lhe 2009...2010...2011...2099!!!
;)

cris disse...

você vai conseguir, tenho certeza. qualquer coisa, é só gritar. eu estou de casa nova e tel. novo. quando quiser conhecer, deixa scrap, recado no twitter, manda email. vamos tomar um café. beijocas

LuLu disse...

Bem-tornada!
Fez falta.

:-)
Beijo.
Da "sua" LuLu.
:-D

Andrea Nunes disse...

De certa forma eu te entendo. Fui mal orientada sobre um carcinoma de pele, a dermato-monstra me olhou e disse: tu tem câncer! me mandou procurar um plástico e voltar lá, naquela hora entre o consultório dela e conversar com um médico amigo por telefone meu mundo desabou, as coisas se organizam de uma forma completamente diferente, na cabeça da gente, quando pensamos que vamos morrer. Que bom que estamos bem e vamos continuar beijando muito! ;o)