sábado, abril 17, 2010

...

O mundo gira, a Lusitana roda.

O casamento acaba, os cacos continuam debaixo do tapete pedindo cola ou o lixo definitivo, mas a gente bota a energia pra não deixar o mato invadir o canteiro, as paredes descascarem, os filhos desandarem.

A gente tem câncer, mas lá vem o bilhetinho na agenda avisando que tem apresentação sobre a chegada da primavera ("Contamos com você lá!"), a ração dos cachorros chega ao fim e as contas continuam a aparecer debaixo da porta impreterivelmente quando não temos mais dinheiro para pagá-las. Nossas roupas acabam - mas se continuam novas alguém herda tudo e um dia vai dizer: "Isso está tão puído!"

Choramos quando perdemos alguém, e na casa em frente ouvimos o parabéns pra você cantado e ip-ip-hurrado. Sentimos o coração afundar ao saber que "...infelizmente não posso ficar com você" enquanto alguém puxa a sua manga para avisar que acabou o papel higiênico no banheiro.

A vida segue. E eu quero amar de novo.
Por favor.

3 comentários:

adriana disse...

Desejo que vc seja muito amada, Suzana.
Pelo jeito, vc está indo muito bem, forte...
Te desejo também saúde e sorte (pq com saúde e sorte, sexo de sucesso, :P )

venus in furs disse...

ja senti o mesmo, exatamente, o peito vazio.
agora to amando denovo.
fica tranquila.jo

Adrina disse...

Você merece uma enxurrada de coisas boas na sua vida, Su, e isso vai acontecer. Tenha certeza. Beijo grande.