sexta-feira, junho 23, 2006

Eternidade

 Posted by Picasa


Experiências com o tempo: dezoito dias, dezoito meses, dezoito anos, dezoito séculos. Sobrevivência imóvel de estátuas que, como a cabeça de Antínoo Monfragona, no Louvre, vivem ainda no interior desse tempo morto. O mesmo problema considerado em termos de gerações humanas; uma cadeia de duas dúzias de mãos descarnadas, não mais que vinte e cinco velhos bastariam para estabelecer um contato ininterrupto entre Adriano e nós.

Marguerite Yourcenar, "Memórias de Adriano"
Editora Nova Fronteira, 1980

2 comentários:

Lala´s disse...

Comecei a ler este livro, mas vou devagarzinho... estou num pique de livros atuais, embora o primeiro capítulo do Adriano seja excelente... Bjs

Cris disse...

ontem fui passear no centro da cidade e vi na da vinci aquele livro que você me recomendou, "o atiçador de wittgenstein". fiquei com saudades do tempo em que tinha emprego com salário certo e não precisava me preocupar com o mês seguinte. mas deixa estar. nada como ter desejos pra serem preeenchidos pra vida ficar mais interessante... bjs