sábado, dezembro 07, 2013

Um ano

Dia 5 fez um ano que eu perdi meu pai.
E eu me perdi esses dias, tentando entender como eu ainda não realizei que não, se eu ligar ele não vai atender.
Ele não vai mais contar piadas idiotas quando eu ligar.
Não vai mais contar aquelas histórias intermináveis.

E eu ando com um medo muito louco de esquecer a voz dele, mesmo tendo descoberto uma gravação que meu mp3 vez, por acaso, quando eu estava em Friburgo. No silêncio do quarto (onde as meninas estavam lendo) dá pra ouvir ao fundo meu pai falando com minha mãe.

Esse fiapo de voz, gravado do andar de cima da casa, é o único e último registro que eu tenho da voz do meu pai. Duas frases.

É tudo o que tenho pra não esquecer.

2 comentários:

terapiaemblog disse...

Eu perdi minha mãe há muitos anos e já não lembro da voz dela. O medo é real e justificado, a gente esquece mesmo. Não sei se todos esquecem, mas sim, infelizmente, é possível esquecer. Inda bem que você tem um registro. :)

Cristine Martin disse...

por incrível que pareça, minha mãe se foi há 23 anos e ainda lembro da voz dela, do jeito que ela falava, fazia brincadeiras... acho que tenho sorte por poder lembrar.
Guarde bem essa gravação :-)