quinta-feira, dezembro 04, 2008

Sumário

Meu avô me dizia que, quando ele nasceu, tinha um nome grande que terminava pequeno: Paulinho. Aí ele cresceu, e na escola era chamado de "Paulo de Tal", entre outros Paulos. Formou-se e acabou virando "Excelentíssimo Sr. Juiz Dr. Paulo Fulano Beltrano de Tal e Qual". Casou e virou de novo "Paulo". Teve um filho, e daí virou "papai" e depois, "pai".

No fim da vida, gostava de dizer que tinha sido resumido a uma sílaba: "Vô". Mas que aquela sílaba, inversamente ao "Excelentíssimo Sr. Juiz Dr. Paulo Fulano Beltrano de Tal e Qual", encerrava um universo que transcendia a sua própria existência.

8 comentários:

JAMINE BRUNO disse...

lindo. cheguei aqui atraves do blog da lola e adorei o post. bjos

Solange disse...

Um caso perfeito de quando o menos é (muito) mais. Quero chegar lá também...

Lila disse...

Que lindo post. Ótimo para começar bem o dia.

Marilia disse...

Mais um post mara.
Beijo mil

Manu disse...

Lindo! Seus posts, sempre me emocionando!
Bjs.
Manu

val ayres disse...

que belíssimo post! me emocionei.
cheguei aqui através do blog da Beth.

Elesbão disse...

ZZZ... Esperando até hoje o tal almoço.

Desisti, e agora faço birra.

Cris Coelho disse...

Lindo texto.Um feliz natal e ano novo cheio de retomadas interiores,jogando as tranqueiras que insistimos em guardar e que nos fazem muito mal.Felicidades querida