quinta-feira, novembro 23, 2017

Matinê

Três e meia da manhã é a hora que você vai dormir. E, obviamente, às seis e meia tem alguém te cutucando, em caráter de urgência. Mas nunca é pra dizer "mãe, tem um homem lindo na sala falando que quer dividir a vida e a fortuna dele com você". Não. Isso é só pra gente normal, tipo a namorada do Idris Elba. Comigo é pra comunicar que a doga cagou toda a cozinha. To.da. E pisou em cima. E carimbou a sala. E deixou o grande final na porta da sala; o item escolhido não foi o número um (que, apesar de tudo, se fez presente na cena), mas sim o número dois - de novo - na versão clássica "Explosão do Krakatoa" ("O uso de toalhas de papel, detergente aroma limão siciliano com toques de tangerina e luvas de kevlar é altamente recomendável").

Meia hora (e mãos e braços esfregados com pasta rosa) depois, você volta para o oco quentinho e macio do seu edredom plus cobertor de lã de alpaca e se aquece o bastante para ser cutucada de novo: uma versão estendida do diretor, agora denominada "Explosão do Krakatoa - Inferno de Java", teve lugar novamente na cozinha, desta vez com a participação especial das paredes e da porta de um armário.

 Rá. Isso não acontece com a namorada do Idris Elba. Certeza.

Nenhum comentário: