segunda-feira, dezembro 17, 2012

...

Eu ainda me pego baixando filmes que, tenho certeza, ele ia amar. Músicas dos anos 50 e 60. Separando CDs em lojas de importados, livros na Travessa. Pegando nas Lojas Americanas pacotes das meias que ele gostava. Pra quem é isso, mãe? Pensando em que caixa vou acondicionar este ano os quindins, já que a antiga se partiu.

Eu ainda acredito que me pai está por aqui, ao alcance de uma viagem de ônibus, de um telefonema. Eu ainda acredito porque não vi meu pai morto. E por isso ainda dói tanto. Como disse tão sabiamente Calvin, ele se foi lá fora, mas não aqui dentro.

Um comentário:

Fal disse...

querida, todo todo todo meu carinho.