sexta-feira, novembro 12, 2010

Direto pro inferno...

"Credo, que sapato medonho."
"Que calça apertada - será possível que ela acha isso lindo?"
"Meu-Deus-que-fedor! Desodorante, plizi!"
"Que cabelo... Jogou tinta de caneta na cabeça, fofa?"
"Parir um bebê assim tão feio deve ser castigo por outra encarnação."
"Essa saia não te valoriza, querida. Suas pernas NÃO SÃO lindas como você acha."
"Moço, se acha que com esse xaveco você tá podendo, sinto dizer que não, não está."
"Você JURA que acha esse esmalte bonito? Jura?"
"Quem te disse que bolsa micra é moda te enganou vergonhosamente."
"Dá pra parar de comer esse churro gordurento na minha cara, filhinha?"

A caminho do trabalho no metrô. Uns 300 anos de umbral, por baixo.

2 comentários:

Ana Cecília disse...

AHAHAHAHAHAH
Encontramo-nos lá, certeza.

chaverdecomlimao disse...

Acho que muita gente vai pra lá... isso não é privilégio teu, queridAAAA! hahahahha