domingo, dezembro 13, 2009

Eu prometo



Deixar as coisas para trás, é o meu lema para o ano de 2010. Eu já falei das minhas metas. Então. Essa é uma. E das grandes e inegociáveis. Não serviu, incomodou, não tem jeito? Tchau, a fila andou. Existem outros problemas e probleminhas à frente. Ali, depois do bebedouro, tá encostado um problemão à espera de uma solução - e sem rima pobre, por favor.

Eu guardo coisas para usar "um dia". Empurro tudo para o fim de semana, o feriado prolongado, a folga, para fazer nas férias. Encosto aquela dor de cabeça no cantinho do fundo da nuca para resolver quando tiver tempo. Mas tempo é uma coisa que eu não tenho sobrando - e, francamente, aos 43 do segundo tempo (literalmente) eu não vou gastá-lo pra resolver o que, veja bem meu bem, não tem conserto.

Viviane cansou de me chamar. Cristiane também. Viviane e Cristiane (rima rica, essa. Vou deixar passar) moram ali do lado e mandavam e-mail "Vamos tomar um chope, almoçar, fofocar, viver?" "Não dá, tenho que consertar um monte de coisas na minha existência esse fim de semana. Fica para a próxima." A próxima não chegou, claro. E Viviane & Cristiane deixaram eu & meus problemas se resolverem, esperando quem sabe eu dizer "AGORA eu posso. Vamos?"

Vamos.

3 comentários:

cris disse...

vamos sim, querida. vamos viver. tem muitos filmes legais, lugares bacanas e gente que vale a pena nos esperando. vou esperar você mandar um sinalzinho de fumaça, tá? beijos!!

Ana Cecília disse...

Eu já decidi: aquele que não entende que um encontro por ano - dadas as circunstâncias da minha vida - é mais que suficiente, não serve como amigo. E nutrimos afeto por quem amamos independente do tempo que disponibilizamos para eles... Relaxa, querida. Filhas + cachorros + emprego + casa + leituras + convites-pra-jantar + projetos de vida demandam MUUUUITO tempo. Pare de se cobrar tanto!
Afinal, ter uma amiga cult e antenada como vc já é motivo de orgulho para qq um.
Saudades...

Adrina disse...

Esse ano não deixou, ainda, de me surpreender. Acabei de descobrir problemas crônicos de saúde. Fala sério.