terça-feira, maio 22, 2007

Idiossincrasias culinárias



Pimenta. Sim, eu ponho pimenta do reino em morangos.

Ketchup. Como (quase) tudo com ketchup. Até arroz com feijão, peixe e salada de batatas.

Café com leite gelado. Acabei de tomar um. Beeem doce.

Frango frito. Com alho idem, de preferência.

Alho. Com (quase) tudo.

Jabuticabas. Meu recorde é de quatro quilos em 25 minutos. Seguido de jambos (duas dúzias em meia hora) e cajus (uma fieira em 45 minutos, aproximadamente. É um cálculo aproximado que meu pai fez, porque àquela altura eu estava passando muito mal. Muito, mesmo. Você não tem idéia o quanto.)

Bacalhau. Amassadinho com batatas. Ou em natas. Entupido de cebolas boiando no azeite. Português, se me faz favor.

Me recuso a citar queeeeeeeeeeeeeeijos. Next!

Picles. Só de pensar fico com a boca cheia d'água.

Torta de banana com ameixa, coberta de suspiro. A sobremesa que melhor minha avó sabia fazer.

Bolo de ameixa. Bem escuro.

Azeitonas. Qualquer tipo. Recheadas então são o que há.

Camarões. Fritos, graúdos, aqueles que prenunciam um ataque de alergia global - com pescoço vermelho coçante e tudo mais.

Tomate com queijo ralado. Na hora: cortou, salpicou, comeu.

Curry no arroz. Sempre que dá.

Alho poró. É comida mágica para mim (comida mágica é aquela que você nunca cheirou, viu nem provou mas sabe que vai a-do-rar). Tudo que tem alho poró eu peço. E me decepciono depois, porque alho poró, chuchu e isopor are the same thing.

Ovos de codorna molhadinhos no vinagre.

Bife (ah, eu não sou tão fina pra falar "filé") esturricado na manteiga. Depois, aproveita aquela gordurama pra esquentar o arroz. Ele fica escurinho, com o gosto da carne e da manteiga. Yummie!

Macarrão sortido (de ontem, anteontem, transanteontem...) bem gelado. Se tiver salsicha ali no meio fico muuuito feliz.

Rapaz, eu às vezes não sei como não peso uma tonelada. Nem enfarto. Milagre.

Update: Café. Com pouco ou muito açúcar, fraco, forte, com chocolate, com palito de canela, salpicado com, com leite, com creme, com sorvete. Café. Se me oferecer acompanhado de queijo cortado em quadradinhos... eu caso com você!

Update 2, the mission: Às vezes, eu tomo café como minha bisavó Ernestina (a Velha Nesta) tomava: molhando biscoito de maisena nele. Serve água e sal, também. Ah, e tem variantes. Um dia, Catatau chegou atrasada para o lanche da escola - era biscoito de maisena com suco de maracujá. Ela não queria comer e então eu a ensinei a comer o biscoito molhando no suco. A arte consiste em fazer com que o biscoito fique molinho por fora mas chocrante por dentro. Se passar picolésimos de segundo ele fica molenga e cai dentro do copo/caneca/xícara. A professora dela a-mou a porcaria - até porque no dia seguinte a turma toda estava fazendo igualzinho.

8 comentários:

Direto do Monte Mulanje disse...

Hey hon,
Você continua a mesma draga de sempre!

Lys disse...

Nossa, fiquei com vontade de fazer a minha lista aqui também, mas vou lhe poupar. :)

Lala´s disse...

Meu Deus, essa lista é pornográfica. Fiquei ofegante...

Cris disse...

amiga ogra, tirando a dor de barriga que você deve estar sentindo, como vão as coisas? há tempos que não nos falamos. estou em falta com você e o mundo, mas depois da qualificação acho que tudo vai melhorar. acho. bjs

parla marieta disse...

Delicioso post. Mas vem cá... 4 quilos de jabuticaba? Numa pequenininha feito tu?
uau!
Aqui, chamamos a bolacha molhadinha de "bolacha do banquete", pois quando os meninos começam a comer, ficam horas se "banqueteando". E também fizeram escola.
Hoje, todos crescidos, ainda compramos a "bolacha do banquete".
hehehehe
beijinhos
saudades

Ana disse...

"alho poró, chuchu e isopor are the same thing" = ótemoooooo!!!!

Também amo azeitonas, principalmente as gregas...

Cris disse...

"alho poró, chuchu e isopor are the same thing" [2]

mentira deslavada. e tenho como comprovar.

Vivien disse...

adorei tudo, fiquei com fome.