sexta-feira, abril 28, 2006

De tudo um pouco

É uma droga não ter computador em casa. Durante o dia, componho belos posts na minha cabeça, observo coisas interessantes na rua sobre o que quero escrever depois. Penso nos livros que estou lendo, nas coisas boas que estão acontecendo, nas curiosidades que vejo quando ando da escola das meninas até a casa da minha mãe.
Quando sento aqui, não lembro de nada para escrever. Só penso insanidades e inutilidades. Do tipo hoje faz um ano, 3 meses, 10 dias e sete horas que eu não transo, que estou viciada em procurar erros de continuidade em "24 Horas", que minhas coxas estão parecendo as do Zico, que não consigo baixar o ponteiro da balança para menos de 59 quilos. Que tem um chato aqui que diz que vai dar uma festa no feriado para 1200 pessoas - e, coitado, você olhando sabe que se aperecerem 15 vai ser motivo de comemoração.
Que tenho tido um sono arrasador todos os dias à tarde - incompatível para os três trabalhos que eu arranjei. Que meu cabelo voltou a ser uma juba (e que está me dando coceira na mão de passar eu mesma a tesoura). Que Blue Eyes desapareceu, que eu estou sem coragem de terminar o livro do Carpinejar. Que Zé Colméia juntou mais de seiscentos desenhos que eu não tenho onde guardar, que fiz o supermercado do feriado com um cheque voador, que Catatau está com dor de ouvido e eu sinto tanta falta das minhas fotos!
Minha vida está seguindo, mas tenho que voltar a adicionar poesia a ela.
Bom feriado, amigos. Eu só volto na terça-feira.

3 comentários:

Blue Eyes disse...

Does it really matters to you...

Blue Eyes disse...

Não corta o cabelo não, se posso dar um palpite.

Cris disse...

eu também me sinto assim. às vezes tenho idéias para textos que eu acho bárbaras, mas na hora de escrever só me passam abobrinhas pela cabeça. parece que, para mim, escrever se tornou um exercício apenas acadêmico. é lá que eu despejo minha energia e é lá que ela fica. dá um desânimo...bj